Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988
Por: Reinaldo Ferreira (Old Game Master) - Em: 21/03/2010
Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

Terror e vingança com Splatterhouse da Namco!

Saudações fãs do Arcade, aqui quem vos fala é Old Game Master e na minha estreia aqui no Old School Gamer, venho trazer hoje um review de Splatterhouse, jogo que deu muito que falar no final da década de 1980.

Com a já consagrada receita de sucesso dos jogos Beat'em Up, a Namco queria mais, ao invés dos bandidos, punks e facções criminosas, ela reuniu o melhor do enredo de filmes de terror e trouxe como desafio criaturas e monstros diretamente do além.

Isso sem contar que a primeira vista, o seu personagem principal havia recebido toda uma inspiração de Jason Vorhess, (Sexta Feira 13).

Infelizmente não tinha sido desta vez, já que a história do jogo conta fatos totalmente diferentes, mas igualmente dignos de uma superprodução.

Nesta review iremos conhecer um pouco da história do jogo, além claro da habitual análise de jogo.

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

A trama por trás de Splatterhouse!

Splatterhouse conta a história de um casal de estudantes universitários chamados: Rick e Jennifer.

Buscando abrigo de uma tempestade, eles acabam indo parar na mansão do Dr. West, um renomado parapiscologista que após conduzir experiências macabras nesta mansão, acabou desaparecendo por circunstâncias misteriosas.

A velha casa é repleta de lendas sobrenaturais, e foi apelidada pelos habitantes locais de Splatterhouse.

Quando o casal de namorados estava dentro da mansão, subitamente ambos foram atacados por um grupo de monstros, Rick é ferido mortalmente e Jennifer levada para um paradeiro desconhecido.

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

À beira da morte, Rick é miraculosamente salvo pela "Death Mask" (Também chamada de Hell Mask) um antigo artefato Maia que reagindo aos pensamentos de Rick, acaba lhe conferindo força sobre humana para resgatar sua namorada.

Claro que tudo tem um preço, a máscara transforma Rick em um monstro, mas era a única forma de poder salvar Jeniffer de um inimigo que nem ao menos sabia quem era.

Sob o controle de Rick, o jogador precisa explorar os cômodos obscuros da mansão e derrotar uma horda de monstros que querem impedir que ele encontre sua amada.

Prepare-se para entrar em um universo além de tudo o que jamais imaginou e onde a pior escuridão, está bem no interior de sua própria alma.

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

O gráfico e som de Splatterhouse!

A perfeita harmonia entre a concepção gráfica do jogo, som e efeitos sonoros são o principal atrativo de Splatterhouse.

Os gráficos das fases são repletos de temas bizarros e perturbadores, mesmo alguns elementos que compõe os cenários de fundo rendem algumas surpresas (e sustos) aos jogadores durante a ação de jogo.

A velha casa é repleta de lendas sobrenaturais, e foi apelidada pelos habitantes locais de Splatterhouse.

Levando em consideração a época (1988/89) e como, tanto nos Arcades, PC e Videogames ainda não conseguiam alcançar em seus jogos algo semelhante, muitos jogadores que conferiram este jogo, acharam simplesmente fantástico.

A trilha sonora entrecortada com gemidos, gargalhadas e urros dos monstros dão um clima todo especial e reforçam ainda mais o tema macabro do jogo.

Do sinistro até o tenso, foi uma sacada genial da Namco, ter investido boa parte da programação do jogo neste quesito.

A única coisa que os jogadores talvez possam reclamar do jogo, é a falta de variedade de inimigos ou as fases serem relativamente curtas, mas tudo isso faz parte de um conceito de jogabilidade conforme veremos a seguir.

Flyer de Splatterhouse

A jogabilidade de Splatterhouse!

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

A jogabilidade de Splatterhouse é bem típica da maioria dos jogos Beat'em Up de sua época acrescida de alguns golpes bem violentos e chocantes graças aos Power Ups (bastões, machados, pedaços de maneira e tudo mais que Rick pode usar como arma).

No mais toda á ação é resumida por socos, rasteiras e golpes aplicados no ar.

Alguns jogadores costumavam a reclamar que Rick é um personagem lento e que não combina com jogos Beat'em Up cuja agilidade é um dos principais requisitos para uma jogabilidade ideal.

Naqueles dias, acreditem isso era bem peculiar nos Arcades, e em vista de tantos outros jogos do gênero, Splatterhouse ofereceu uma movimentação de personagem bem razoável.

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988

Splatterhouse é um jogo de dificuldade acima da média, que exige do jogador reflexos rápidos da a quantidade de inimigos que aparecem durante a movimentação.

As fases intensas (mas curtas) e o fator dificuldade estão perfeitamente equilibrados para compensar as limitações dos arcades na época e mais, grande parte dos recursos existentes foram empregados na concepção das fases e trilha sonora.

Portanto, apesar destes pequenos defeitos, Splatterhouse foi um dos poucos jogos na época que explorou bastante as possibilidades e o que o hardware de uma Arcade tinha a oferecer.

Splatterhouse - Arcade Placa Namco System 1 - Beat' em up - 1 Jogador - Namco 1988
Conclusão:

Uma boa pedida para jogadores veteranos de relembrar os bons tempos dos Arcades e tirar a ferrugem dos dedos.

Agora se por um acaso nunca o tenha jogado e esta disposto a apostar algumas fichas, não perca mais tempo, pois Splatterhouse pode ser o seu jogo.

Reinaldo Ferreira (Old Game Master)
Sou de São Paulo, Capital. Auxiliar Administrativo formando-se em letras com especialização em tradução e interprete. Colecionador, Pesquisador e partidário do Romhacking/Emulação e Tradução de jogos. Curto jogos retrô em geral e meus favoritos são RPG/PUZZLE e Survival Horror.

COMENTÁRIOS

Seu comentário foi enviado com sucesso!

Assim que for aprovado, será exibido aqui!

Obrigado por participar!

Infelizmente seu comentário não foi enviado.

Tente novamente e se o problema persistir, por favor, envie um e-mail: contato@oldschoolgamer.com.br

Pyron03/02/2014

Muito bom o review, pena que a série não teve tanto apelo mundo a fora e a nova versão tenha deixado a desejar, pelo menos ela vinha com os 3 jogos clássicos da série.

Gosto tanto dela que fiz um vídeo sobre ela ano passado... para complementar caso alguém queira saber um pouco mais sobre o jogo.

http://www.youtube.com/watch?v=PlL0yMHVrfk